OLÁÁÁ!!! GERINGONCEIROS!

Se você é poeta, músico, ator, artista plástico, dançarino, aspirante, produtor ou curioso e quer mostrar seu trabalho, estabelecer contatos e somar, venha para o Redemoinho Artístico! E quem sabe mostrar o resultado disso no Amostra Grátis. Reuniões sempre às sextas, 17horas! no SESC Tijuca. Contato: tijuca.geringonca@sescrio.org.br

31 de ago de 2008

Rodrigo Maranhão e Rock Ted

29 de ago de 2008

Oficina Eu na Web - Aula 3



Nesta aula, aprofundamos o conceito de Web 2.0 e mostramos, por meio de dez características, as diferenças do conteúdo da internet de hoje para o de tempos atrás. Demos especial ênfase nos aspectos que aproximam e distanciam o texto escrito para a web do escrito para a mídia impressa convencional. Para dar ainda mais força a essa diferença, propusemos um exercício com o Twitter, espécie de microblog onde o usuário tem de resumir o que quer escrever em 140 toques. Na aula que vem, vamos analisar os resultados. Os dez tópicos tratados na aula foram:


1. publicação
Qualquer um pode publicar conteúdo, se tornar um emissor, falar, ter voz.
A comunicação sai do esquema um-todos e entra no esquema todos-todos.

2. navegação e participação
Entre a web 1.0 e a web 2.0, a navegação se torna muito mais fácil e intuitiva.
Os recursos multimídia passam a integrar o contexto das ferramentas web, sem se constituírem como elementos à parte.

3. objetividade vs subjetividade

O jornalismo cidadão muda a perspectiva tradicional sobre as regras da objetividade e da imparcialidade jornalísticas: vale mais a pena confiar em alguém que vivenciou a notícia do que em alguém que a reporta. A distância é a mesma que há entre fontes primárias e secundárias.

4. autoridade e credibilidade

De quem é a responsabilidade por uma falha de apuração no jornalismo online?
Quem tem mais credibilidade?

5. moderação

Sobre o mediador recai a responsabilidade pela ordem.
Esta característica atribui à figura do mediador os papéis ambíguos de "moderador" e "censor" aos olhos da comunidade.

6. interatividade

O diálogo interno entre emissor e receptor não se faz mais somente por via quantitativa, mas por via qualitativa.

7. interdiscursividade

O diálogo externo entre mediadores de diferentes sistemas se traduz em uma conversação aberta e aprofundamento da cobertura.

8. hipertexto

Talvez a principal diferença entre a escrita nos meios tradicionais e a escrita online, a hipertextualidade abre o baú das fontes jornalísticas.

9. instantaneidade e atualidade

Tempo real. Há tempo que não seja real?

10. memória

Esta característica permite que muito mais notícias sejam armazenadas em um espaço infinitamente menor, aumentando as possibilidades de indexação e, conseqüente, recuperação da notícia.
Por outro lado, a volatilidade do meio se traduz em um risco de amnésia digital.

23 de ago de 2008

AMOSTRA GRÁTIS DIA 28 DE AGOSTO!!!

22 de ago de 2008

Rodrigo Maranhão

19 de ago de 2008

Oficina Eu na Web - Aula 2




Na última aula, passamos brevemente por uma história da evolução dos sistemas operacionais e da internet, discutimos um pouco as idéias por trás da chamada "web 2.0" e do "jornalismo cidadão", e fizemos um pequeno passeio pelos sites colaborativos. Vários exemplos de sites estrangeiros e brasileiros foram dados.

Discutimos ainda alguns casos interessantes nestes sites, como o vídeo publicado na internet pelo rapaz que provocou o massacre da universidade americana Virginia Tech. George, um dos participantes da oficina, citou também o exemplo do atentado nos metrôs de Londres, que teve as primeiras informações repassadas via celular por pessoas quaisquer que estavam na área delimitada pela polícia.

Combinamos que a próxima aula trataria da questão do texto (e de outras mídias) feito para a internet. Qual é a diferença entre ele e os outros? Que recursos diferenciados pode usar, se há limites de tamanho etc.

Reunimos os endereços eletrônicos de todos os alunos em uma lista de discussão. A conversa da aula continuou, portanto, na internet. Rapidamente o Viktor passou os links – com uma pequena explicação – de cada site citado na aula. (Quem preferir pode acessar esses sites a partir do nosso Delicious).

Wikipedia
Enciclopédia virtual colaborativa. Os verbetes são escritos por colaboradores. São mais de 420 mil artigos em português e mais de 500 mil em inglês, entre muitas outras línguas.
http://pt.wikipedia.org/

YouTube
Site de vídeos, onde é possível assistir programas televisivos (algumas redes têm parceria com o YouTube), curtas metragens, e muito mais. Os vídeos podem ser assistidos online.
http://www.youtube.com/

Orkut
Site de redes sociais, onde os usuários traçam seus perfis e identificam interesses em comum.
http://www.orkut.com/

Twitter
Ferramenta de microblogging, onde é possível criar blogs e postar textos curtíssimos (com limite de caracteres).
http://twitter.com/

Global Voices
Rede global de blogs e comunidade de tradutores voluntários, que traduz para uma série de idiomas posts interessantes de diversos blogueiros espalhados pelo mundo.
http://pt.globalvoicesonline.org/

iCommons
Site colaborativo especializado em temas que abordem educação e tecnologia no ambiente colaborativo da internet e das novas mídias.
http://icommons.org/

Desciclopédia
Paródia da Wikipedia, com verbetes bem-humorados e com informações erradas propositadamente.
http://desciclo.pedia.ws/

EyeOS
Sistema Operacional online. É possível instalar aplicativos, guardar documentos etc, como se fosse um computador pessoal mas acessível de qualquer computador.
http://eyeos.org/

Flickr
Banco de fotos e rede social. No Flickr, é possível comentar as fotos de outros autores, encontrar fotos disponibilizadas sob licenças Creative Commons e pesquisar fotos de instituições públicas e privadas, como bibliotecas, museus, arquivos e centros culturais.
http://www.flickr.com/
http://www.flickr.com/commons
http://www.flickr.com/creativecommons


Delicious
Site de bookmark social, onde é possível indicar e guardar seus sites favoritos online e encontrar pessoas que marcaram como favoritos os mesmos sites.
http://delicious.com/

WikiCrimes
Site colaborativo que procura mapear os locais de crimes no Brasil. Os usuários marcam onde os crimes ocorreram e tenta-se organizar uma estátistica mais aprofundada sobre esses dados.
http://www.wikicrimes.org/

Fórum Brasileiro de Segurança Pública
Site colaborativo sobre segurança pública, com documentos, artigos e políticas públicas de segurança sendo discutidas por policiais e pesquisadores da área.
http://www.forumseguranca.org.br/

DotSub
Site de vídeos que permite a adição de vídeos legendados em diversos idiomas. As legendas são feitas por uma equipe voluntária.
http://www.dotsub.com/

OhMyNews
Site de jornalismo cidadão, em que qualquer colaborador cadastrado pode postar uma notícia. As notícias mais quentes e interessantes são selecionadas e impressas em forma de jornal.
http://english.ohmynews.com/

WordPress
Ferramenta gratuita para a criação de blogs.
http://wordpress.com/
http://wordpress.org/

LibraryThing
Rede social de resenhas de livros, onde os usuários compartilham informações sobre os últimos livros que leram.
http://br.librarything.com/

mySpace
Rede social de música, onde é possível encontrar desde bandas famosas a novos sucessos da cena indepedente, todos com músicas disponíveis para serem ouvidas online.
http://www.myspace.com/

SlashDot
Site de tecnologia e informática. Foi um dos pioneiros no esquema colaborativo.
http://slashdot.org/

Kuro5hin
Site colaborativo de tecnologia e informática. Criou o conceito de filas de edição e votação.
http://www.kuro5hin.org/

Digg
Site colaborativo, onde é possível indicar links para conteúdos de outros sites.
http://digg.com/

Newsvine
Site colaborativo com notícias sobre diversos assuntos, entre eles política, esporte, tecnologia e entretenimento.
http://www.blogger.com/www.newsvine.com

Archive.org
Banco de dados multimídia, onde é possível encontrar músicas, textos, fotos e vídeos (inclusive clássicos do cinema mundial) disponíveis em domínio público.
http://www.archive.org/

Aí, participantes da oficina trataram de complementar esta lista com outros exemplos bem interessantes. Vide as mensagens:


Ricardo Fonseca de Carvalho:


Aproveito para também dar uma indicação – talvez vc já esteja a par – de um site super legal. www.radiotube.com.br. Sds Ricardo Carvalho.


Mensagem do George:


Afinal, o que é o eclipse do Yahoo Brasil?


http://br.noticias.yahoo.com/s/080815/48/gjrbkf.html



http://br.noticias.yahoo.com/especiais/id_manifesto.html


http://www.yahooposts.com/



Resposta do Viktor:

O RadioTube eu não conhecia. Curioso perceber que é também um projeto patrocinado pela Petrobras. Ricardo, você tem alguma proximidade com o projeto?
No Overmundo, tivemos uma experiência colaborativa com uma temporada da Rádio Overmundo (http://www.overmundo.com.br/tag/radio-overmundo). Foram 30 edições. Vale a pena conferir o programa.

George, o Yahoo! Posts eu já tinha ouvido falar há pouco. Mas me parece que é um site editorializado, não? São blogs selecionados pelo Yahoo. Posso estar errado, mas me parece uma tentativa do Yahoo! de penetrar na "blogosfera" sem ter um serviço eficiente de hospedagem de blogs (como o Blogger e o Blogspot, do Google).

Resposta do George:

Quis mesmo chamar atenção para este movimento no mercado, o YAHOO ! Brasil buscando (re)posicionamento.

Havia sabido (por alto) que o YAHOO ! Brasil contratou o Manoel Neto um desenvolvedor blogueiro de alto nível. Agora fica claro o movimento de conquista de um grupo de comunicadores especializados em blogs, os pro bloggers, aliás não exatamente de conquista deles, mas do público deles.

Demais a indicação do RADIO TUBE, vamos navegar e pesquisar todo. E trocar boas idéias.

Fotonovela(Por Rachel Souza)


Italmar: "Ted, Sabe se a Ana tá com alguém?
Ted: "cbodjsk, talvez..."
Italmar: "Hã?! Não entendi, fala mais devagar? Só entendi a parte do talvez..."
Ted:"jjviogsak, tá."

Ted: " Tenho um poema aqui e fdjkfsp, leia que ela vai se sensibilizar."
Italmar: Você não bate bem, já percebi...
Ted: "Sou ator, sei das técnicas."
Italmar: "É..."
Ted: "fsiblsk, sério! e tem mais... Ana só frequenta lugar chique e você tá com problema de grana, vai ter que fazer um biscate, vender bala no sinal, cocada no trem..."
Italmar: Que isso, maluco!? Que biscate? Sou artista, porra!! Tenho a alma sensível pra cara*&#%!!!!!!


Italmar: "Ana,tá percebendo alguma coisa estranha aqui na minha orelha?"
Ana Paula: "Xá ver... é, tá suja."
Italmar: "Eu sei, na verdade só usei isso pra puxar assunto."



Ana Paula: "Assunto comigo? Como assim?"
Italmar: "Ana, quero seu corpo!!"
Ana Paula: "Hein?!?! Olha aqui meu filho, não vai rolar..."
Italmar:"Porque?"
Ana Paula: "Não saio com gente que ganha salário mínimo e pelo que sei você é baixa renda."
Mona: "Ó, isso é verdade... Ela só fala comigo porque sou rica e tenho casa na frança, o melhor ue você faz é desistir e pegar seu ônibus de volta pra casa"

8 de ago de 2008

Oficina Eu na Web - Aula 1









A primeira aula da oficina Eu na Web foi na sala de internet livre do Sesc-Tijuca. Não poderia haver lugar com nome mais apropriado, afinal o objetivo da oficina é justamente disseminar os variados usos da rede mundial de computadores por meio de ferramentas interativas. A internet é livre e o grande desafio é fazer com que ela seja aproveitada em todo seu potencial, sobretudo no que diz respeito à comunicação online.

Foi interessante perceber que os alunos atraídos pela oficina têm perfis dos mais diversos. Gente de 15 a 67 anos, de engenheiros a produtores culturais, passando por estudantes. Em comum, a curiosidade em relação à web e, sobretudo, à web 2.0 - que vem a ser justamente a vertente "colaborativa" do espaço virtual.

Começamos a aula com uma breve descrição dos objetivos da oficina. Em seguida os oficineiros se apresentaram e contaram seus interesses. Partimos então para a parte "teórica" da aula, que ajudava a reforçar as motivações da oficina: mostramos, por meio de números e informações - boa parte delas pesquisada na própria internet - que há uma crise de distribuição de produtos culturais por vias tradicionais. Por outro lado, há cada vez mais gente produzindo música, vídeo, artes plásticas, literatura, justamente com a facilidade alcançada pelos recursos tecnológicos. Demos, então, alguns exemplos de artistas que conseguiram fazer um uso inovador da internet a fim de distribuir suas obras. Houve uma acalorada discussão sobre as indústrias fonográfica e cinematográfica.

Encerrada essa etapa, explicamos que fizemos a opção de tratar da produção cultural na nossa apresentação apenas por ser esta a nossa área de atuação. Somos da equipe editorial do http://www.overmundo.com.br/, um site colaborativo de cultura brasileira cujo objetivo é democratizar a disseminação da produção cultural em todo o país. Fizemos questão de reforçar que esta questão da distribuição de informação pode ser pensada para diversas áreas. Por isso, passamos a conversar na segunda etapa da aula sobre o tipo de produção de conteúdo que a turma gostaria de fazer nas próximas aulas da oficina.

Alguns temas vieram à tona e os alunos se comprometeram a pesquisar sobre eles (entrevistar, apurar, consultar dados e, eventualmente, gravar) para produzirmos textos na próxima aula. No final, houve conversas sobre a importância e a relevância de redes de relacionamento, como o Orkut.

3 de ago de 2008

"O que você quiser que eu faça, eu faço, meu amor"


Fausto Fawcett e Orquestra Charles Bronson

Realejo ArtesAndAndo - Amostra Grátis de Julho!

Roberta Valente e Rachel Souza

Obras de Vitor Casini
Stencil em camiseta, de Nathalia Gonçales

Desenhos de Luah Garcia

TV Geringonça

Loading...