OLÁÁÁ!!! GERINGONCEIROS!

Se você é poeta, músico, ator, artista plástico, dançarino, aspirante, produtor ou curioso e quer mostrar seu trabalho, estabelecer contatos e somar, venha para o Redemoinho Artístico! E quem sabe mostrar o resultado disso no Amostra Grátis. Reuniões sempre às sextas, 17horas! no SESC Tijuca. Contato: tijuca.geringonca@sescrio.org.br

17 de dez de 2008

Mais uma sessão de vídeos...

Ainda no clima recordar é viver, aí vão os últimos vídeos da galera que apareceu por aqui em 2008!

Mais de Amanda Garruth, em junho de 2008:

Vida Ciranda


Namorando o ar


Cantiga do tempo


Mais de Sethica, em outubro de 2008:


Só por uma chance


Tudo se repete no final


Mais de AUMUMANA, em março de 2008:

Quem vai


Nos bastidores do Geringonça


Enquanto o sol brilhar


Os Macraios, em março de 2008:

Inseticida Azul


Acenda um incenso/Alice


Contrabando de dentes


Com Rogério Skylab - Observando janelas


Com Rogério Skylab - O primeiro tapa é meu


Mais de Milhouse, em maio de 2008:


Alá tem peitos


Mais de AForma, em junho de 2008:

Sistema solar


Odd Park, em agosto de 2008:


Sexo e Rock Master Clube


Flávio XL, em maio de 2008:

Bang bang


Na humi/verdadeiro MC


Bárbara Boneca, em maio de 2008:


Óculos chanel


Confeitaria


Vinicius Castro, em outubro de 2008:

A Sentença


Com Chicas - Casa ao revés

15 de dez de 2008

Oficina: Interferências e irreverências

A oficina interferências e irreverências foi uma agradável experiência. Por diversas razões, que vão desde o prazer que tive em ministrá-la, ao resultado positivo junto aos alunos. Por se tratar de uma oficina inédita, permitiu-me aprofundar meus conhecimentos sobre práticas artísticas relacionadas à intervenção, e intervenção urbana, área em que venho me exercitando como performer, possibilitando-me assim, um rico aprofundamento dentro do meu próprio metiér. Fiz uma ampla pesquisa sobre diferentes exemplos de intervenção urbana pelo mundo, desde grafite, performances, a stickers, ações quase invisíveis e body art. A idéia era traçar um painel heterogêneo de exemplos a partir do conceito de intervenção, seja na cidade, num museu ou no próprio corpo; uma vasta curadoria, que teve, porém um foco principal, ou seja, ações que fossem irreverentes, que trabalhassem no terreno do humor, que lançassem mão de procedimentos cômicos. Essa pesquisa traduziu-se, sobretudo em imagens, cerca de 400 fotos de trabalhos variados de artistas de todo o mundo. Além desse material, apresentei à turma o meu trabalho autoral A Bailarina de Vermelho. Com esse personagem venho praticando performances e intervenções em diferentes lugares e circunstâncias há cerca de um ano. Exibi, além de fotos desse percurso, alguns vídeos meus também sobre o assunto. Embora a turma fosse reduzida em termos quantitativos, em termos qualitativos acredito que a oficina tenha sido uma experiência proveitosa para os que a acompanharam. Pude perceber a curiosidade e interesse que essa prática, tão em voga, porém por enquanto ainda pouco estudado, pode despertar na turma. Há muita informação sobre o assunto, porém de maneira dispersa e não completamente formalizada. A oficina se prestou a propor um recorte sobre o tema, e acredito que tenha estimulado não só a curiosidade como a criatividade dos alunos. Além do trabalho da Bailarina de Vermelho, nos debruçamos sobre o trabalho de artistas de diferentes procedências tais como: Banksy, Orlan, Christo, Aakach Nihalani, Coletivo Poro, Pôster Boy, Eric Doeringer e artistas das vanguardas do início do século XIX, como o futurista Marinetti e Marcel Duchamp. Depois de extenso material apresentado e muita discussão a respeito defini junto ao grupo quais seriam as ações a serem trabalhadas para nossa apresentação final dentro do evento Geringonça, buscando procedimentos que mais tivessem identidade com a turma. A questão da irreverência foi um norte para nós desde o início, outro ponto que nos norteou foi o afeto, a idéia era propor um trabalho que se relacionasse de maneira afetuosa e lírica com o espaço, o evento e com o público. Assim, listamos algumas ações e batizamos nosso grupo como Abraço Grátis, cuja ação principal se baseava em promover um abraço coletivo às 20h entre artistas, produtores e público do evento. Além dessa ação distribuímos livros e quadros grátis, espalhados pelas dependências do SESC, cartas anônimas convidando para o abraço, uma árvore de desejos, poemas e palavras espalhadas por lugares inusitados. Infelizmente devido a um acidente de carro na última hora eu não pude estar presente no evento, justamente no dia da apresentação final do grupo, mas tive a oportunidade de conversar posteriormente por email com alunos que me deram boas notícias da experiência, como o depoimento do aluno Sandro Gomes comprova: “Gostamos muito da experiência e já estamos planejando uma intervenção agora para dezembro em algum espaço público aberto. As idéias está pipocando... “.

Aproveito a oportunidade deste registro para agradecer o convite feito pelo SESC Tijuca através da Sra. Patrícia Oliveira. Acho louvável a incitativa de promover um módulo de oficinas voltado à prática da intervenção, e pelo que pude saber a curadoria dos cursos me pareceu bastante interessante, abrangendo propostas variadas como intervenção sonora, pintura de painéis e, o meu trabalho de base mais performático-teatral. O SESC tem apoiado inúmeros trabalhos meus ao longo da minha carreira como artista, seja como atriz, diretora ou autora, e é sempre uma grande satisfação poder contar com esta parceria. Graças a esse convite hoje tenho uma oficina pronta que posso desdobrar em outros trabalhos, apresentar em outras circunstâncias e que, inclusive me ajudou a definir o tema da minha monografia de final do curso Teoria do Teatro pela UNIRIO, curso que finalizo em 2009, o tema interferências e irreverências certamente estará presente, talvez, inclusive, seja o próprio tema da tese. Além disso, como artista, a oficina me proporcionou um aprofundamento muito enriquecedor no meu próprio trabalho e em meu métier. Obrigada por essa oportunidade, que considero um presente, o SESC e o Projeto Geringonça podem contar comigo, e parabéns pela iniciativa. Tenho certeza que muitos alunos saíram fortemente marcados não só da minha classe, como das outras oficinas oferecidas pelo Projeto Geringonça.

Alessandra Colasanti

Dezembro de 2008

7 de dez de 2008

Mais Vídeos...

Aí vão mais vídeos da galera que passou por aqui nesse ano:

Aumumana- março de 2008



AForma - Junho de 2008


Sethica - outubro de 2008


Maui Trio- abril de 2008


Odd Park - Agosto de 2008

4 de dez de 2008

Aquecimento pra Lavagem das Engrenagens!

Pra fechar esse ano com chave de ouro, estamos preparando a LAVAGEM DAS ENGRENAGENS, nossa retrospectiva dos Amostras Grátis do ano, que acontecerá dia 11 de dezembro, quinta feira!

E pra dar uma provinha do que vai rolar, aí vão alguns vídeos de algumas apresentações nos AG's de 2008.


Amanda Garruth- Amostra Grátis de Junho de 2008


Milhouse - Amostra Grátis de Maio de 2008

Aguardem mais vídeos!

28 de nov de 2008

Fotos do Amostra Grátis de Novembro

O Amostra Grátis de Novembro contou com as apresentações de:

Poesia: Leomir Dornellas com a participação de Luísa


Artes Plásticas: Leandro Lourenço


Teatro: "OZ" com o Grupo Garimpo


Dança: "WATT/MADE" com Fernanda Nicolini


Artes Plásticas: Júlia Pecly


Música: MAYA


Música: Novos gatos do trovão


Participação do Palhaço Matraca nas apresentações das bandas MAYA e Novos gatos do trovão


Artes Plásticas: ERA - Raquel e Érica


Bate-papo: Marco André, Trio Manari e Deca Zone


Plano Geral: exibição de curtas de Diego dos Anjos, JC Oliveira, Luciana Franco e do Festival do Minuto


Teatro: "O marinheiro" com Berenice e o seu teatro da bolsa


Moda: Fiapo de Manga


Intervenções pelo teatro


Abraços grátis às 20h


E nosso mediador da noite, o Palhaço Matraca

E em Dezembro mais novidades. Aguardem!
Lavagem das engrenagens chegando!

24 de nov de 2008

Amostra Grátis de Novembro

O Amostra Grátis de Novembro acontece na próxima quinta-feira, dia 27. Para você ir se preparando separamos alguns vídeos dos músicos que farão o Workshow desta edição.

Para começar um vídeo sobre o trabalho de Marco André com depoimentos de Nelson Motta e muitas outras personalidades.



Ficou curioso? Então confira o videoclipe da música Caringlobalizado do CD Amazônia Groove de Marco André.



Um pouquinho do trabalho do Trio Manari no PercPan.



E o Deca Zone no palco do Teatro Ziembinsky apresentando a canção O anjo e a rosa.



Agora quer saber o que vai sair dessa mistura de ritmos?
Só estando presente no Amostra Grátis do dia 27 de Novembro. Não perca!

18 de nov de 2008

Amostra Grátis realiza penúltima edição de 2008

Esquentando para a lavagem das engrenagens, o Amostra Grátis realiza sua penúltima edição de 2008, no próximo dia 27 de novembro, a partir das 17 horas, com o worskshow de Marco André o Trio Mannari, junto com a banda Deca Zone e a apresentação conduzida pelo Palhaço Matraca. Tudo de graça!

Nesta edição, as bandas MAYA e Novos Gatos do Trovão, trazem os sons do rock psicodélico e um swing "meio clube da esquina" no palco. Enquanto lá fora, o DJ René Maciel toca o que melhor já passou pelo projeto, a partir das 17 horas.

No palco ainda terão as apresentações de dança com "Dança Batida", com Rafaeli e Monique Mattos e "WATT/MADE", com Fernanda Nicolini. Já nas artes póeticas: Leomir Dornellas e Thaís Nepomuceno declamaram suas poesias. Enquanto a Cia Teatro da Bolsa e o Grupo Garimpo apresentaram suas esquetes: O Marinheiro" e "OZ", respectivamente.

Lá fora, acompanhando o DJ Rene Maciel, os artistas plásticos Leandro Lourenço, Raquel e Érica e Julia Pecly mostraram seus trabalhos e grupo Fiapo de Manga mostra sua cara numa manga, digo sua moda. Sendo invadido esporadicamente pelos curtas de Luciana Franco, JC Oliveira, Diego dos Anjos, Tárlia Laranjeira e seleção do Festival do Minuto no Plano Geral.

Como se tudo isso não fosse suficiente, terá ainda muita comida Goiana (porquê quem faz cultura tem fome, é verdade). Essa edição fecha mais um ano, onde o projeto Geringonça já trouxe mais de 1000 artistas em vários segmentos artísticos, em cinco anos de existência e se prepara para mais uma edição da lavagem das engrenagens, onde chama novamente uma pequena mostra do que já passou em 2008, para a celebração desse ano. O evento será realizado no dia 11 de dezembro.



SERVIÇO:
AMOSTRA GRÁTIS COM MARCO ANDRÉ
E O TRIO MANARI E DECA ZONE

Local: SESC Unidade Tijuca - R.Barão de Mesquita, 539
DATA: 27 de NOVEMBRO de 2008 às 17 hs
CONTATOS: Tels: 3238-2168/3238-2076
E-mails: tijuca.geringonca@sescrio.org.br
tijuca.jovem@sescrio.org.br
ENTRADA FRANCA

16 de nov de 2008

Vídeos do AG de Outubro

Quem perdeu o Amostra Grátis do mês de Outubro agora pode conferir alguns vídeos do evento.

Vinicius Castro cantando "A sentença".



Chicas e Vinicius Castro cantando "Casa ao Revés".



Chicas e Vinicius Castro cantando "O que eu não sou".



Chicas e Vinicius Castro cantando "Paciência".

12 de nov de 2008

Fotos do Amostra Grátis de Outubro

O Amostra Grátis de Outubro contou com as apresentações de:

Poesia: de Sydney, O Poeta da Areia


Intervenção/Performance SangueSeiva de Ana Muniz


Dança: Companhia de Aruanda


Poesia: Sandro Gomes, Folhas Poéticas


Realejo ArtesAndAndo com Romano e Crítica ao vivo com Marcelo Campos


Música: EM MENTE


Moda: Menina Chora


Dança: Grupo Gaúcho


Bate papo: Chicas e Vinicius Castro


Artes Plásticas: Camila Radharany


Teatro: "Quatro Histórias e Um Único Fim" com Dudu Fadel, Rosa Félix, Marcus Liberatto e Mayara Milane


DJ Fernando Dias


Dança: Núcleo de Pesquisa MobCatena


Música: Séthica


Plano Geral com a exibição dos curtas de Antonio Machado, Marina Pachecco e Gustavo Corrêa


Culinária Gaúcha


Show inesquecível de Chicas e Vinicius Castro


Tudo isso mediado pelo palhaço Migué Brugelo Dito e Feito

Gostou? Quer ver mais fotos? Então, clique aqui!

E não perca o próximo Amostra Grátis dia 27 de Novembro. Acompanhe o blog do projeto para conhecer a programação.

9 de nov de 2008

Oficina de Rádio Lugar

OFICINA DE RÁDIO LUGAR
Romano

A oficina apresentou os conceitos que envolvem a produção artística e radiofônicado meu trabalho e de outros artistas. Discutiu-se a relação entre arte e música, som e música, som e espaço, coisas que não haviam sido percebidas antes pelos presentes. Fizemos audições e produzimos um falante.

Fez-se uma audição na rua, onde se perceberam camadas sonoras. A partir dessa discussão partiu-se para uma interferência sonora na cidade e então produziu-se um falante experimental para apresentar-se no MOLA, Mostra de Artes do Circo Voador.

Também produziu-se no último dia uma noite radiofônica, com a presença de vários participantes, inclusive a apresentação do crítico Marcelo Campos, entrevistas e discotecagem por conta dos alunos.Nessa noite descreveu-se ao vivo, uma apresentação de dança, pelo rádio FM.

A oficina resultou na produção de trabalhos pelos alunos e aulas envolvidas com a produção e a discussão da arte, e foi um sucesso em arrebatar a atenção eo interesse destes pelos processos da arte sonora.

Romano, Nov 08.

ARTE, SOM, DESMATERRIALIZAÇÃO

ARTE, SOM, DESMATERIALIZAÇÃO
Marcelo Campos

Na noite de quinta-feira, 30 de outubro de 2008, cheguei ao SESC Tijuca para participar da Rádio Lugar, uma iniciativa comandada pelo Romano para o Projeto Geringonça. “Venha fazer rádio na rua!” “Traga sua proposta e seja você mesmo o deejay!” Assim o cartaz convocava os participantes.

Com isso, ao chegar, percebi propostas bem abertas de diálogo tanto com o lugar, quanto com os participantes que vinham acompanhando as oficinas há um mês. Romano tem interesses amplos na conceituação e difusão do lugar da arte. Já conhecia suas pesquisas sobre os vínculos da arte com a imaterialidade dos sons, fazendo do evento-arte o momento de encontro, etéreo, efêmero, inusitado.

Contaminado pelo ambiente, direcionei minha proposta para Rádio Lugar também incluindo os participantes, ora como entrevista, ora como depoimento aberto aos que se aproximavam para ouvir. Para cada tema, todos emitiam opiniões. Em vez de palestra, produzimos um debate, uma conversa “de mesa”. Com isso, propus assuntos que de antemão incitariam discussões para um público mais diversificado. Tratamos das especificidades dos objetos de arte: materialidade, desmaterialização, obra única, reprodução, etc. Discutimos a aproximação entre obra e espectador: hermetismos, literalidades, textualidades, etc. Incitei-os, desta forma, a entender os “incorporais” de Anne Cauquelin e a “sobreidade” de Arthur Danto. Tudo isso, driblando os ruídos do entorno, acreditando na disseminação da arte no cotidiano da cidade.

Marcelo Campos

28 de out de 2008

Amostra Grátis traz Chicas e Vinicius Castro em outubro de graça

Na última quinta-feira de outubro, dia 30 é dia de Amostra Grátis, o evento com entrada franca, realizado há meia decáda no SESC Tijuca, reunindo jovens artistas de diferentes lugares e linguagens artísticas. Nessa ante-penúltima edição do ano, o Amostra Grátis irá trazer o grupo vocal feminino Chicas e o cantor e compositor Vinicius Castro que irão fechar a noite cheia de atrações especiais. O evento começa a partir das 17 horas e vai até às 23 horas, no SESC Tijuca, que fica na Rua Barão de Mesquita, 539.

Entre as atrações
musicais estão as bandas: Ventura, Séthica e EM MENTE e as companhias de dança: Companhia de Aruanda, Núcleo de Pesquisa MobCatena e Grupo Gaúcho na dança e mandando nas pick-ups, o DJ Fernando Dias, fazendo o som nos intervalos dos filmes, com os curtas de Antonio Machado, Marina Pachecco e Gustavo Corrêa no Plano Geral.

Já na área da poesia estarão presentes Sandro Gomes, com suas poesias sobre a Tijuca e Sydney, O Poeta da Areia acompanhados da esquete “Quatro Histórias e um Único Fim”, de Dudu Fadel, Rosa Félix, Marcus Liberatto e Mayara Milane. Costurando todas as atrações, o palhaço Migué Brugelo Dito e Feito estará realizando a mediação de palco.

Finalizando, no
campo da moda, Menina Chora estará mostrando suas camisas estampadas e outras apetrechos e nas artes plásticas: Rita de Cássia e Camila Radharany estarão expondo suas artes e Ana Muniz estará realizando sua intervenção/Performance SangueSeiva.

E quem pensa que fazer cultura não dá fome, está enganado, pois além de todas essas atrações, o Centro de Tradições Gaúchas estará servindo muito chimarrão, churrasco e arroz carreteiro. É mole, ou quer mais?

SERVIÇO:
AMOSTRA GRÁTIS COM CHICAS E VINICIUS CASTRO
Local: SESC Tijuca - R.Barão de Mesquita, 539
DATA: 30 de outubro de 2008 às 17 hs
CONTATOS: Tels: 3238-2168/3238-2076
E-mails: tijuca.geringonca@sescrio.org.br
tijuca.jovem@sescrio.org.br
ENTRADA FRANCA

Bailarina de Vermelho realiza oficina gratuita de intervenções cômicas no SESC Tijuca

Durante todas quarta-feiras do mês de novembro, o SESC Tijuca irá sediar a oficina “Interferências e irreverências”, com Alessandra Colasanti, que através de sua personagem A Bailarina de Vermelho, busca a investigação do conceito de intervenção como prática e experiência estética relacionadas ao gênero cômico. A oficina é gratuita.

Entre os tópicos a serem trabalhados na oficina estão:
- Reflexão sobre o conceito de intervenção, e intervenção urbana;
- Situar histórica e conceitualmente as diferenças entre performance, happening e intervenção urbana;
- Apresentação de imagens, fotos e vídeos do trabalho da própria artista, e de outros artistas;

- Trabalho autoral em teatro. O que é ser autoral hoje?;

- Teatro e outros suportes, cruzamento de linguagens, autoria e cruzamento de linguagens. Internet e mídia digital;
- Humor, conceito de humor como interferência na ordem comum do discurso, pensar a prática de humor hoje, humor e artes plásticas depois de Duchamp. Arte conceitual. Humor como instrumento crítico. Humor como aberração. Estímulos. Estímulos inusitados;
- Arte contemporânea, arte não institucionalizada, suportes alternativos, arte efêmera, intervenção, espaço público X espaços decodificados. Capacidade poética de interferir no ritmo do dia a dia anonimamente.Transformação anônima do espaço público;

- Conduzir os alunos em práticas de intervenção no espaço arquitetônico do SESC e adjacências a partir de pequenas ações líricas e cômicas.


Oficina “Interferências e irreverências”, com Alessandra Colasanti
Quando: Todas as quartas de novembro (dias 5, 12, 19 e 26), das 18 às 21h
Onde: SESC Tijuca (Rua Barão de Mesquita, 539)
Inscrições: 3238-2168 / 3238-2076
tijuca.geringonca@sescrio.org.br / patriciaoliveira@sescrio.org.br
Entrada Franca

24 de out de 2008

Oficina "Interferências e irreverências"

Durante o mês de Novembro o Realejo ArtesAndAndo oferece a oficina gratuita “Interferências e irreverências”, com Alessandra Colasanti, que através de sua personagem, A Bailarina de Vermelho, propõe a investigação do conceito de intervenção como prática e experiência estética relacionadas ao gênero cômico.



Acontece:

Dias: todas as quartas de Novembro (dias 5, 12, 19 e 26)

Horário: de 18h às 21h

Local: SESC Tijuca (Rua Barão de Mesquita, 539)

Oficina gratuita!

Inscrições: 3238-2168 / 3238-2076 tijuca.geringonca@sescrio.org.br patriciaoliveira@sescrio.org.br

20 de out de 2008

Amostra Grátis - Dia 30 de Outubro

13 de out de 2008

Amostra Grátis de Outubro

Como foi dito no post anterior... no Amostra Grátis deste mês, dia 30 de Outubro, teremos o Workshow com o grupo as Chicas.

Agora é a vez de apresentar Vinicius Castro que irá dividir o palco com o quarteto. Vinicius Castro é um dos jovens talentos da MPB que vem produzindo um trabalho autoral de qualidade. Suas influências incluem Chico Buarque, Aldir Blanc, José Miguel Wisnik, Moska, Zeca Baleiro, Tom Zé, Lenine, entre outros.


Para quem ficou curioso para conhecer o trabalho de Vinicius Castro segue abaixo o vídeo da apresentação da música 'A sentença'.

Gostou? Então acesse outras páginas do artista: Palco MP3, Myspace, Blog, Comunidade no orkut, Fotolog.

10 de out de 2008

Amostra Grátis de Outubro

No Workshow do próximo Amostra Grátis, dia 30 de Outubro, teremos o prazer de contar com a participação do grupo as Chicas - uma das mais promissoras bandas de MPB dos últimos anos. Formada por Isadora Medella, Amora Pêra, Fernanda Gonzaga e Paula Leal.

Para quem ainda não conhece o trabalho do quarteto ou quer ir se preparando para a apresentação, confira os vídeos abaixo!





Gostou? Quer saber quem vai se apresentar junto com as Chicas no Workshow? Então não perca nossas próximas atualizações!

9 de out de 2008

Relatório Final - Pintura Mural Coletiva

RELATÓRIO FINAL - PINTURA MURAL COLETIVA
Jorge Duarte

Dividir a concepção de obras nas artes visuais é um procedimento que tem sido incomum ao longo da história. Mais recentemente duplas como a francesa Annie e Patrick Poirier ou os célebres Gilbert and George, ingleses que atuam desde 1969, desenvolveram com sucesso internacional carreiras em dupla. No Brasil a dupla PAULAGABRIELA desenvolve a partir de 1998 uma carreira que vem cada vez mais se consolidando. Mais comum são coletivos de artistas criados para defender interesses comuns, produção de eventos e divulgação de obras, respondendo cada um, no entanto, pela criação solitária de suas obras. Chamam atenção neste terreno vários grupos de grafiteiros que desenvolvem criações coletivas. Mas, se são ainda iniciativas numericamente insignificantes diante das produções individuais, parecem ser uma tendência crescente no meio de arte.

Quando propus a oficina Pintura Mural Coletiva, dentro de um programa geral do Projeto Geringonça voltado para a questão da Intervenção Urbana, pensei a cidade como um espaço que, pelas condições especiais de trabalho que oferece, favorece o surgimento do trabalho em equipe. Seja por causa dos grandes formatos que requerem as obras, condições de conforto e estrutura material mais precários, pela necessidade de maior velocidade de execução, condições de segurança e até mesmo possíveis repressões, a rua convida mais ao agrupamento.

O desafio lançado a mim pela oficina foi o de reunir um grupo onde poucos se conheciam, e me juntar a ele numa aventura de criação inédita para a maioria. Tive a sorte de ver reunido um grupo onde todos tinham já alguma familiaridade com a arte. Jovens artistas, a maioria estudantes de arte antenados com a contemporaneidade e com algum domínio técnico de desenho e pintura. Como sempre faço nestas situações, inicialmente apresentei e comentei meu próprio trabalho, e em seguida cada participante também se apresentou. Assumi então o papel de coordenador ao invés de professor, coerente com a idéia de criação coletiva.

As discussões se seguiram em torno do problema da criação coletiva, estratégia de trabalho e um ponto de partida para a ação. Discutimos a adoção ou não de um tema central e acabamos, por fim, optando por um tema que homenagearia o próprio Projeto Geringonça, nos propondo a criar algo como uma “geringonça visual”, um mecanismo centrado no movimento visual e na acoplagem de “peças” a serem criadas por cada um e abertas à interferências de todos. Me parece que esta estratégia acabou garantido ao painel uma unidade visual pouco esperada diante das diversas faturas pessoais, que acabaram se mesclando por toda a superfície.

Resta ressaltar o caráter lúdico do desenrolar das sessões, a harmonia nas relações interpessoais e a tranqüilidade com que cada um pode continuar detalhes alheios sem ressentimentos ou egos feridos. Fica para mim um grande aprendizado e a felicidade de ter convivido com um grupo que me trouxe novos amigos.

Quero agradecer a toda a equipe de trabalho SESC Tijuca, pelo cuidado e pela competência com os quais viabilizaram a realização desta oficina.

Jorge Duarte

Mural do projeto Geringonça

Mural do projeto Geringonça
Deneir de Souza Martins

Sugerido por Jorge Duarte, iniciei a minha discussão com os integrantes das oficinas e outros ouvintes mostrando a minha experiência como arte-educador, mostrei trabalhos em arte pública, principalmente, murais coletivos. Falei sobre o Grupo Imaginário Periférico que fundamos em 2002, hoje com mais de trezentos artistas plásticos. Em seguida, relatei uma intervenção do Projeto Murais Urbanos com pintura mural realizada durante três meses com alunos da Escola Municipal Martin Luther King na cidade do Rio de Janeiro e finalmente mencionei a realização de vários murais no interior do Estado nas unidades da Fundação para a Infância e Adolescência – FIA com portadores de necessidades especiais. Para mostrar melhor estas experiências utilizamos imagens de um datashow e Jorge Duarte analisou e mostrou fotos do processo de execução do mural coordenado por ele.

Com relação ao mural produzido pelos integrantes das oficinas, o resultado foi muito impactante, principalmente pelo fato de ter sido orientado por um artista com a experiência de Jorge Duarte. No primeiro momento, vi no centro do mural, de forma quase abstrata, a imagem de uma geringonça rodeada por vários signos com muita força expressiva e visual. A composição não se limitava apenas a imagens elementares apresentando ótima expressão gráfica e utilizando temas, formas, texturas e cores fortes, predominando várias tonalidades de vermelhos, laranjas e amarelos. Os signos e coloridos que circundam o mural reproduzem os diferentes aspectos de nossa saudável pluralidade cultural. A união dos participantes aliada aos seus conhecimentos técnicos fizeram com que de perto pudéssemos ver um painel coletivo, mas de longe pudemos observar um mural e composição única.

Deneir de Souza Martins
Artista plástico e Arte Educador

30 de set de 2008

Oficina gratuita ensina como criar webrádio pela cidade

Durante todas as quintas-feiras de outubro, de 18 às 21 horas, o SESC Tijuca estará recebendo, Romano, mestre em Linguagens Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro que está realizando uma oficina gratuita de Rádio Lugar, que se propôe a criação coletiva de uma webrádio a partir da apresentação e discussão de trabalhos de arte sonora e interferências na cidade. A idéia do trabalho é de que o rádio e a webrádio sejam ocupações do espaco sonoro e que podem modificar o paradigma da produção e distribuição de conhecimento no sistema da arte.

A oficina faz parte do projeto Realejo ArtesAndAndo, que todo mês traz profissionais das áreas de Artes Plásticas, que realizam uma série de trabalhos onde são todos apresentados na última quinta-feira do mês, no Amostra Grátis, que o próximo será no dia 30 de outubro. No dia ainda terá a participação do doutor em Artes Visuais da Escola de Belas Artes/ UFRJ, Marcelo Campos, que realizará uma intevenção, chamada "Crítica ao Vivo", a partir das 19h, com entrada franca também.


Rádio para tudo quanto é lado

Quem ainda não conhece o trabalho do Romano, em 2008, ele ganhou o prêmio Projéteis de Arte Contemporânea da Funarte com a performance "S.W.O.L, Sample Way of Life", que é um esfile de moda com roupas fake compradas no camelódromo, realizado com uma apresentação ao vivo de rappers da periferia. Outro trabalho é a mochila sonora "Falante" premiada no Salão de Abril, Fortaleza, e que participou da mostra "Futuro do Presente" no Itaú Cultural, com a curadoria de Agnaldo Farias e Cristiana Tejo. Quem quiser assistir o video desse trabalho e conhecer mais sobre o trabalho do Romano, pode acessar o site:
www.oinusitado.com




Realejo ArtesAndAndo: Oficina de Rádio Lugar com Romano
Quando: 02, 09, 16 e 23/10 de 18h às 21h
Onde: SESC Tijuca. R. Barão de Mesquita, 539.
Inscrições: 3238-2168 / 3238-2076
tijuca.geringonca@sescrio.org.br / patriciaoliveira@sescrio.org.br
Entrada Franca

Redemonho Artístico recebe trabalhos artísticos autoriais

O Projeto Geringonça, do SESC Tijuca realiza toda sexta-feira, de 17 as 20 horas, o encontro chmado Redeminho Artístico, com objetivo de receber trabalhos artísticos, em todas as área artísticas. O Redemoinho é um encontro livre de artes, onde artistas encontram seus pares, numa forma de mostrar e fazer o seu trabalho artístico próprio e autoral.


Os trabalhos artísticos são catalogados e mensalmente, na última quinta feira de cada mês, esses artistas são convidados para participar de um evento chamado Amostra Grátis, com divulgação, apoio e realização do SESC.

APAREÇAM, MOSTREM SEUS TRABALHOS!

GERINGONÇA - REDEMOINHO ARTÍSTICO
Quando: Toda sexta-feira de 17 às 20 horas
Onde: SESC Tijuca (Rua Barão de Mesquita, 539)
ENTRADA FRANCA

29 de set de 2008

Em Outubro

Realejo: ArtesAndAndo

"Oficina de Rádio Lugar" com Romano, Mestre em Linguagens Visuais/UFRJ e crítica "ao vivo" com Marcelo Campos, Professor Adjunto do Instituto de Artes da UERJ.

Criação coletiva de uma webradio a partir da apresentação e discussão de trabalhos de arte sonora e interferências na cidade, fixando a idéia de que o rádio e a webradio são ocupações do espaço sonoro e que podem modificar o paradigma da produção e distribuição de conhecimento no sistema da arte.

Dias: 02, 09,16, 23 e 30 de Outubro
Horário: 18h às 21h

Local: Unidade Tijuca
Rua Barão de Mesquita, 539.

Inscrições: 3238-2076 / 3228-2168
tijuca.geringonca@sescrio.org.br
patriciaoliveira@sescrio.org.br

21 de set de 2008

Orquestra Contemporânea de Olinda!

Galera, aí vão alguns vídeos da Orquestra Contemporânea de Olinda, pra vocês já irem sentindo o clima do workshow desse mês.....









Gostaram? Então venham ao Amostra Grátis: dia 25 de setembro, a partir das 17h, no SESC Tijuca: Rua Barão de Mesquita, 539. E, como o nome já diz: É GRÁTIS!!!

Amostra Grátis dia 25 de setembro!



12 de set de 2008

Fotos da Liza K no Amostra Gráis em 2006






















TEMPOS TRANSURBANOS - Luis Andrade / set 2008

TEMPOS TRANSURBANOS

Diante do fato de nossa percepção, a partir de um certo momento, não mais distinguir as noções de tempo daquelas de espaço, a compreensão que temos dos processos e fenômenos criativos também passaram por uma sutil revisão. Essa revisão tem sido motivada cada vez mais pelos caminhos que a arte contemporânea assumiu para si, sobretudo quando o espaço – e o tempo – da cidade passou a ser um campo de investigação para artistas, analistas e pesquisadores em geral, historiadores e afins.
Digo sobretudo porque, antes da cidade, já todo um inventário de objetos – esculturas, digamos – havia sido reformulado, em termos instrumentais, para a consecução de uma obra de arte. Restava seu campo mais ampliado: a paisagem, seja ela natural – o espaço da natureza que nos envolve – ou artificial – a própria cidade.
As intervenções urbanas, além da difusão e uso das mais diferentes mídias, em uso tático, são uma decorrência dessas constatações e fundamentam grande parte daquilo que se observa no universo das criações contemporâneas.
A oficina do SESC, sem dúvida, foi pautada pela investigação dessas possibilidades. Portanto, numa tentativa de abarcar essas diretrizes, foram comentados – e contrapostos, mas não por oposição – os trabalhos de alguns artistas significativos do modernismo e pós-modernismo para se rastrear os indícios desse campo de investigação atual. Balla e Dubuffet, por um lado, Basquiat e Banksy, por outro.
Quanto aos trabalhos surgidos no contexto da oficina, é importante observar que, de uma forma ou de outra, muito do que se comentou encontra-se em germe nas realizações dos artistas inscritos. A crítica cultural, problemas universais de linguagem, além do humor, seriam características daquilo que foi finalizado enquanto obras, espalhadas pelas redondezas do local. Parece um bom resultado. Diria melhor: um bom indício, sobretudo para aqueles que foram buscar, na oficina, dados e convivência capazes de fundamentar melhor o próprio foco de interesses.
O assunto é vasto. E suas possibilidades, inquantificáveis.

Luis Andrade / set 2008

Arte Pública: Ações em Rede - Alexandre Vogler

Arte Pública: Ações em Rede

Oficina realizada no SESC Tijuca, dentro do Projeto Geringonça, durante o mês de Agosto de 2008. Nesse período foram agendados cinco encontros: três deles dedicados à apresentação teórica e documental do tema proposto, um dia dedicado à prática de confecção de estêncil (máscaras de grafite) e sua posterior aplicação em muros do Bairro da Tijuca e um dia destinado à fala do artista plástico e escritor Luis Andrade, onde fez consideração aos temas abordados na oficina e aos trabalhos realizados pelos inscritos.

O curso apontou para a prática de Arte Pública no mundo, realizada, mais especificamente, desde a virada do século XXI.
Para isso recorreu-se a trabalhos de arte que utilizam como suporte o conjunto dos meios de comunicação e informação – e que defino como “Ações (artísticas) em Rede”. Portanto foram apresentadas iniciativas artísticas que utilizam meios diversos e ainda pouco comuns ao universo da arte, tais como: Rádio, Correio, Telefone, TV, Imprensa, Ação Direta, Intervenção na Paisagem, Intervenção e Apropriação de Mobiliário Urbano, Satélite, Internet, Comunicação Institucional e Formas Populares de Inscrição na Paisagem.
Dessa forma procurou-se discernir as estratégias dessa arte (em Rede) da chamada Intervenção Urbana. Sobretudo por considerar que o contexto público dos dias de hoje é, na verdade, midiático; e que, portanto, se encontra virtualizado e não concreto, de fato (como em esculturas de praça pública ou mesmo em intervenções urbanas).

Foram estudados diversos segmentos artísticos da produção contemporânea e os meios correspondentes. Isso, longe de estabelecer critérios técnicos dessa produção, enfocou os termos de criação de uma linguagem artística desvinculada dos meios usuais (pintura, escultura, gravura) e derivada de processos onde questões como abrangência, estratégia, redundância, escala, disseminação e transmissão, afirma o que a Teoria da Informação propagou há décadas: “O meio é a mensagem”.

Durante a oficina foram introduzidos e debatidos conceitos pioneiros a esse tipo de arte, como o conceito de Mídia Tática, fruto de práticas ativistas de alcance e disseminação de informação não institucional; igualmente recorrente às estratégias de disseminação do capital, porém dedicada à livre expressão do pensamento e das idéias.

Foram também apresentados trabalhos de Coletivos de Arte, efetivo sintomático da produção artística desse século, conseqüência de outra noção de rede: A Rede Social. Trabalhos de autoria diluída, que tocam questões cotidianas e agem no coletivo. Outro fator relevante a essa noção de rede é a criação de espaços controlados por artistas e que possibilita a criação de Circuitos de Arte Auto-Geríveis.

Por último o espaço de aula foi adaptado como um atelier, onde os inscritos produziram -com o auxílio do projetor, lâminas de corte e cartão duplex - máscaras de estêncil reproduzindo imagens construídas pelos próprios e trazidas em arquivo digital. Após a confecção das máscaras foram para as ruas testar suas matrizes em muros da região, disseminando seus trabalhos na esfera pública da coletividade.

CAIXINHA DE SURPRESAS - Edmílson Nunes

CAIXINHA DE SURPRESAS

Cortes e costuras, humor, descobertas e acasos, cores, brilhos, imagens históricas num universo subjetivo. Estrutura e precisão. Difíceis facilidades, artezania da alma em construções matemáticas; enfim. A obra de Marcos Cardoso traz em si a constituição de um novo corpo temporal; máquinas e engrenagens que nos desvendam um outro olhar sobre nós mesmos.
E a possibilidade do processo? O envolvimento através da experiência plástica; contaminar. Afeto, risos e desconfiança. Mãos que se movimentam tentando encostar-se no monumento da razão.
A arte dissecada, aula de anatomia, indivíduo em processo como em processo está sempre a alma do artista.
Exatamente aí reside a possibilidade da mesma ser vista por dentro, podendo ser esta experiência, que a principio é solitária, dividida e saboreada de uma forma divertida e alegre com o outro.
O marketing e a publicidade estabelecem uma ponte fictícia e absolutamente eficaz entre vida e felicidade. Paraíso Dionisíaco pintado com cores fortes. Mentiras e verdades. E é neste território onde mentiras e verdades coexistem que reside o trabalho de Cardoso. Não há nele nenhum cunho moralista ou panfletário (tipo não gosto de televisão ou vamos reciclar para salvar a terra).
Quadrados de plásticos transparente são recheados, costurados e adornados com imagens retiradas de embalagens multicoloridas. Mensagens que retiradas do seu contexto inicial, provocam espanto e sedução. Espanto e sedução que aqui se quer dividido em obra e processo.

Já conhecendo as oficinas de Cardoso, pude observar, no Sesc, dentro do Projeto Geringonça uma dinâmica diferente das outras; por sua estrutura física e humana, com conotação jovem, por isso atrai diversas idades. Ali desenvolveu-se idéias com afetividade, agulhas, tesouras, plásticos, rotúlos, costuras. Por fim, um objeto feito para seu uso próprio. Objeto este que já foi descartado.
Edmílson Nunes

INVENTANDO MODA - Marcos Cardoso

INVENTANDO MODA
Quando convidado para o projeto, logo percebi que o mesmo era voltado para a arte contemporânea com um olhar para o urbano, para o lado de fora.Abordar a relação entre o homem e o ambiente, assim como questionar como ele se insere no contexto sócio-cultural, e ainda por fim, alargar as fronteiras da experiência humana.Assim voltei meu trabalho para as mãos, trazendo o lado de fora para dentro, a embalagem plástica, a sobra do consumo.O SESC tem um público extremamente jovem, por isso permite o funcionamento desta oficina.Aqui vai a opinião de alguns destes freqüentadores:Além de conhecer de perto e estabelecer contato com um artista que move o cenário, foi bacana aprender um pouco da técnica. Expandiu as possibilidades de materiais e suportes; inclusive o plástico.
Joana Barros
Achei a proposta e as soluções super pertinentes. O astral da oficina também foi massa; continue nessa vibe!!!
Alë Souto
Uma oficina engrandecedora pela oportunidade de "pôr as mãos na massa", também pela liberdade de criação e o exercício da criação em si.O Marcos nos deixa à vontade para conhecer o material e criar intimidade com a técnica.
Roberta Valente
O material surpreende. É instigante e divertido. A oficina abre possibilidades criativas muito interessantes. Parabéns.
Katia Angelo
Opinião? O workshop foi muito curto, mas muito bom.Lim Lima

Marcos Cardoso

1 de set de 2008

Oficina Eu na Web - Aula 4

Na última aula, retomamos o exercício com o Twitter. Demos como exemplo o Twitter do sociólogo Sergio Amadeu e o uso que ele faz da ferramenta. Entre outras aplicações, o sociólogo responde a pergunta básica do site ("o que você está fazendo?"), faz cobertura online (como a do programa Roda Viva, que também tem um Twitter), usa tags (#palavra) e mecanismos de resposta (@nome).

Depois, partimos para avaliar o Twitter dos grupos da Oficina, o Overmundo1 e Overmundo2.

Também discutimos as questões de direito autoral na Web. Demos diversos exemplos de questões no meio e apresentamos a alternativa da licença Creative Commons. Falamos também de outras licenças.

No fim da última aula da Oficina, lemos um trecho de um texto do colaborador do Overmundo heraldo hb que condiz com o espírito desses quatro dias de aula:


CULTURA DIGITAL - Indo Além do Big Brother

Dia desses, a jovem cantora Pitty comentou numa entrevista que as pessoas quando pensam na Bahia, lembram logo de axé music e esquecem que há milhares de pessoas com outros gostos musicais morando por lá...

Agora ligue o canal da imaginação e tente pensar o que deve sentir um roqueiro baiano ou um vegetariano gaúcho; ou um piauiense que é tratado genericamente de “paraíba”.

E já reparou que até bem pouco tempo a televisão só tinha apresentadoras de programa infantil louras? Já reparou que todo oriental nas propagandas tem jeito de abobalhado? Todo motorista de carrão é branco? Todo nordestino é engraçado? Todo carioca mora em frente à praia... É isso mesmo?

Além disso, indo mais fundo: quando a mídia fala da sua cidade você já teve a sensação de que “não é bem assim”?

Todas essas perguntas e situações têm a ver com a forma com que a comunicação de massa funcionou durante a maior parte do século passado (principalmente a televisão). Além das notícias serem quase sempre das capitais (de algumas capitais), toda vez que se falava de alguma cidade, sempre soava estranho, com um olhar totalmente de fora. Quando se falava do interior, então, sempre se reforçava o lado pitoresco, folclórico, estereotipado...

E isso padronizava tudo: os pontos de vista, os pontos turísticos, os sotaques, os “tipos” de pessoas...

Mas a cultura digital aos pouquinhos tem conseguido sacudir esse modelo antigo e pesado. Principalmente com a popularização da Internet, cada vez mais nós conseguimos informações sobre os lugares vindo de pessoas DAQUELES LUGARES. Com os recursos ficando mais acessíveis, outras vozes estão conseguindo espaço para divulgar suas idéias, conceitos, produtos, pontos de vista.

E com o advento da web 2.0, as redes sociais e os sites colaborativos estão surgindo novos comunicadores, que vêm mostrando que a periferia e o centro estão cada vez mais embolados no meio campo.

Através de um blog, alguma merreca numa lan house e uma idéia na cabeça, uma pessoa pode hoje levar para o mundo a sua visão sobre sua cidade, seu gosto musical, sua tribo, suas propostas de crescimento. Um filme feito em casa pode virar uma sensação no Youtube e ampliar a rede de contatos de um morador de Barra do Itabapoana.

Se antes havia uma tentativa de entrar na mídia, hoje você pode SER A MÍDIA!

Tá bom, tá bom, as grandes TVs ainda são grandes e poderosas, mas acredite: as coisas estão mudando – e rápido!
__

As apresentações que usamos nas três primeiras aulas estão disponíveis abaixo:










Foi um enorme prazer para a nós, da Equipe Editorial do Overmundo, dar essas aulas.

Um forte abraço a todos que participaram do projeto,
Helena Aragão, Thiago Camelo, Viktor Chagas.

TV Geringonça

Loading...